Rixa entre dois moradores de Mocal, povoado de Serrano do Maranhão acaba em Homicídio Brutal

Da Redação

0

Aconteceu no último domingo (27), no povoado de Mocal, que pertence ao município de Serrano do Maranhão um brutal homicídio por rixa conforme informação da segunda companhia Independente de Polícia Militar lotada no município de Serrano.

Segundo a polícia, por volta das 16:00 horas e 30 minutos do domingo (27), aconteceu no pacato povoado de Mocal um homicídio, a vítima sendo Natanael Alves Sousa, vulgo “Natico”, tendo como acusado Nilton vulgo “Gavião”. Ainda relata a polícia que por volta das 19:00 horas e 15 minutos receberam informações do crime através de um motorista de uma ambulância do município de Serrano dando conta do grave crime, crime esse que deixou a população do pequeno povoado chocada.

A Polícia de Serrano se deslocou para o local do crime em conjunto com a guarnição de Bacuri para constatar as informações trazidas pelo motorista, a Polícia relata que ao chegarem no povoado, tiveram contato com o senhor Delvando Souza Farias, proprietário de um Bar  onde teria iniciado a discussão. Segundo versão contado pelo proprietário do referido, o acusado (Gavião), estava bebendo e a vítima (Natico), chegou tempos depois onde em seguida percebeu-se uma correria que terminara na casa da senhora Vânia, onde supostamente teria acontecido o brutal homicídio, segundo testemunhas o acusado teria proferido diversos golpes de fação na vítima o levando a morte, ainda segundo os populares após executar a vítima o acusado evadiu-se do local tomando destino desconhecido, até o fechamento dessa matéria seu destino era desconhecido pelas autoridades.

O motivo da execução teria sido por rixa segundo informou a Polícia  com base em informações de populares que estavam no local, a suposta rixa seria muito antiga e que nesse dia fatal se encontraram.

Considerações sobre o crime de rixa

A rixa, crime capitulado no artigo 137 do Código Penal Brasileiro, no título dos crimes contra a pessoa, está tipificado como único crime do capítulo IV. Elemento fundamental nesse crime, como em qualquer outro é o verbo penal, pois este tem o condão de demonstrar o especial fim de agir do criminoso e seu elemento subjetivo, ou seja, o dolo.

Como podemos depreender, o crime de rixa advêm da intenção e da vontade consciente de agir contra outra pessoa.

No tipo em tela temos dois verbos nucleares com peculiaridades distintas, o primeiro “participar”, manifesta-se de tal forma que o participante da rixa deve ter efetivamente vontade de interagir, juntamente em conluio com outros participantes para praticar o crime por algumas formas, como socos, pontapés, arremesso de objetos perigosos, dentre outras.

Já por outro lado, temos o verbo “separar”, que possui característica de eximir determinada pessoa do aludido crime, já que esta sequer participa da rixa, tendo por manifesta vontade, indubitavelmente, o intuito de cessar a rixa, de separar os contendores, ou seja, o confronto que possa estar acontecendo, ou porque não, que está prestes a acontecer.

Perceba que o verbo separar, carrega consigo caráter benéfico, a atitude daquele, que não é participante de rixa, de tentar separar os rixosos, que a princípio estão sob forte rivalidade, nos denota isenção de pena, já que a intervenção, por questão de política criminal é resguardar e restabelecer a ordem pública em local que encontra-se evidente a rixa.

O objetivo do interventor é trazer e restabelecer a interrupção e a paz, respectivamente, do dissídio violento entre participantes de rixas.

Fator social relevante e infortúnio que depuramos na cultura brasileira, são os confrontos entre “torcedores” pelos estádios de futebol no Brasil, onde não se sabe o porquê, mas por certo, que dentre o apurado e efetivamente visualizado na mídia, é que a rixa está presente nesses estádios, onde gangues rivais, disfarçadas de torcedores, ao invés de irem torcer por seus respectivos times, vão para se confrontar, trazendo pânico e medo às pessoas que estão praticando o lazer dos finais de semana e pura e simplesmente torcendo e apreciando seus times, bem como o esporte nacional. Por fim destacamos que a guarnição que esteve no local do crime foi composta pelo Cabo Mauro e Soldado Robson com apoio da guarnição de Bacuri Sargento BOAS e o Soldado Cardoso. 

Posts Relacionados Mais do autor

Comentário

Seu endereço de email não será publicado.