Flamengo não supera o Independiente e é vice da Copa Sul-Americana

0

Flamengo não conseguiu superar o Independiente na noite desta quarta-feira (13) e perdeu o título da Copa Sul-Americana para o time argentino, que comemorou muito no gramado do Maracanã.

O jogo terminou empatado em 1 a 1, mas o Independiente ficou com a taça por ter vencido a partida de ida por 1 a 0, em Buenos Aires. O gol rubro-negro foi marcado por Lucas Paquetá, enquanto o tento hermano saiu do pé direito de Barco, de pênalti.

O Flamengo até fez uma grande partida nesta quarta-feira, mas não conseguiu mais do que um empate por 1 a 1 com o Independiente, que, dessa forma, ficou com o título da Copa Sul-Americana. Os argentinos tinham vencido o duelo de ida em casa por 2 a 1.

Os cariocas contaram com grande atuação de Lucas Paquetá, que abriu o placar, e iam criando diversas oportunidades. Ainda assim, viram o adversário, que pouco fazia, empatar com um gol de pênalti convertido por Barco, que já está certo com o Atlanta United e fez sua última partida pela equipe.

O título representa o segundo do time de Avellaneda na competição – também havia vencido em 2010. O clube, que é o maior ganhador da Libertadores com sete troféus, agora iguala o Boca, como os únicos que conquistaram a Sul-Americana.

Além disso, o time argentino sagra-se campeão no Maracanã pela segunda vez. Em 1995, a equipe bateu o próprio Flamengo na decisão da extinta Supercopa da Libertadores. Os rubro-negros, por sinal, seguem sem vencer uma competição continental desde a Copa Mercosul de 1999. O time faz sua primeira decisão na Sul-Americana, torneio que existe desde 2002.

Considerado um dos principais elencos do Brasil em 2017, o Flamengo fecha a temporada com o título do Campeonato Carioca e uma vaga na Libertadores de 2018, assegurada pelo Brasileirão.

Os mandantes começaram a partida em um ritmo acelerado, descendo ao ataque com velocidade e, assim, conseguiam levar perigo à meta adversária com frequência. A melhor chance no início do jogo veio aos 13min, quando Éverton recebeu ótimo passe de Felipe Vizeu e, de frente para o gol, chutou em cima do goleiro Campaña, perdendo ótima chance. Aos 25min, Diego arriscou de dentro da área, e Amorebieta apareceu no meio do caminho para cortar.

O jogo chamava um gol, e ele veio ainda na primeira etapa. Aos 29min, Diego fez o levantamenteo em falta da intermediária, Juan escorou e Réver desviou para o meio. A bola seguiu viva, e Lucas Paquetá, da pequena área, completou para o fundo da meta.

O técnico Ariel Holan ainda sofreu com outro problema aos 33min, já que precisou trocar Benítez, com um problema físico, por Albertengo.

A partida era toda do Flamengo, mas um lance isolado tirou a vantagem dos cariocas. Meza foi lançado na área, acabou derrubado por Cuéllar e o árbitro colombiano Wilmar Roldán assinalou o polêmico pênalti, que foi confirmado após consulta ao VAR. Barco foi para a cobrança e deixou tudo igual aos 39min.

Na volta para a etapa final, o Flamengo continuou indo ao ataque. Paquetá quase marcou aos 2min, quando deu grande arrancada, fugiu da falta e finalização caído no chão, parando no goleiro. E, aos 10min, Reinaldo Rueda resolveu aumentar ainda mais a ofensividade ao colocar Vinícius Júnior na vaga de Trauco.

Apesar disso, a equipe argentina teria uma excelente chance e só não viraria graças à genialidade de uma lenda. Gigliotti aproveitou-se de um erro de Réver, ganhou na corrida de Cuéllar e tocou por cima de César. Barco estava impedido e não foi à bola, que ia em direção ao alvo. Antes que ela cruzasse a linha, Juan fez um corte espetacular, mandando para escanteio.

Os rubro-negros assutariam com cabeceios de Vinícius Júnior (sobre o alvo) e Willian Arão (à direita), mas os argentino conseguiam ficar mais tempo com a bola, mantendo a vantagem enquanto o tempo passava. Aos 29min, houve um susto enorme depois que César caiu de cabeça no chão após trombar com Réver. Felizmente, o goleiro logo se recuperou e seguiu na partida.

A equipe da casa até foi para cima em busca de levar a decisão à prorrogação, mas ganhar títulos é a especialidade do Independiente, que conseguiu administrar a vantagem. Nos acréscimos, Réver até teve uma grande oportunidade com uma sobra de bola na área e mandou por cima do alvo a última chance do jogo.

Posts Relacionados Mais do autor

Comentário

Seu endereço de email não será publicado.