Em Tom de Repúdio, Professor Rebate Críticas Ofensivas de alguns Vereadores de Cururupu

2

CURURUPU – Em tom de repúdio, o professor, historiador e cidadão cururupuense, atuante nas políticas sociais do município, Carlos Pimentel relata o que vem sofrendo por parte de alguns vereadores da base do governo de Cururupu, a razão dos desnecessários ataques é o fato do professor não se acomodar com algumas situações, como cidadão, Pimentel se coloca no direito e a constituição lhe autoriza isso, de questionar e levantar demanda, diante de seu papel de cidadão, que aliás, deveria ser visto com admiração por alguns parlamentares, está acontecendo exatamente o contrário, o professor vem sofrendo acusações descabidas e ouvindo termos chulos para se referirem  à ele conforme se pode extrair abaixo. 

“Venho por meio deste canal democrático mais uma vez emitir meu repúdio quanto ao despreparo de alguns vereadores de Cururupu que mesmo sendo eleitos para fiscalizar e defender o povo, insistem em defender governos, quem me conhece sabe o quanto que luto por aquilo que acredito e como bom historiador que sou entendendo que todos os líderes ou revolucionários que ousaram confrontar a elite ou seu poderio em relação aos marginalizados sempre foram criticados, discordar dos meus argumentos eu até aceito e respeito, afinal mesmo não parecendo, ainda vivemos uma democracia ou ao menos o que restou dela.

Na semana passada, ao sair da Câmara de vereador de Cururupu, após a leitura de meu ofício cobrando dos vereadores uma visita a rua São José, Bairro São Benedito em Cururupu, pois a mesma e não somente ela está intrafegável eu fui chamado por um dos vereadores , assim como um membro do governo municipal de antipático, novamente me reportei a esta mesma casa cobrando resposta de ofícios, além de denunciar o acúmulo de cargo do presidente da casa que todas as quintas e sextas-feiras não executa seu expediente como agente de saúde por estar nas sessões, em nenhum momento em minha fala ou documentos e inclusive desafio os mesmos a provar isso que disse que era obrigação da câmara punir, penalizar ou algo desse sentido.

O que vejo é que alguns distorcem os fatos para não ter que aceitar que algo está errado, e se não bastasse essa afronta e desrespeito após a minha saída na sexta-feira, outros vereadores, sendo a maioria da base política atual tiveram a imoralidade de insinuar que estou com “distúrbios” por cobrar coisas que não é de competência dos vereadores, aqui eu digo o que disse na câmara , embora eu não seja vereador eu conheço a função, vou listar algumas das coisas que cobrei – o posto do Barreiro 2 desde outubro de 2017 não é realizado preventivo, onde o secretário alega que a servidora não quer fazer e está se negando e na verdade falta estrutura física condizente para realização de tal procedimento, cobrei a resposta quanto ao indicativo do projeto onde cria o dia do Evangélico, resposta sobre a Audiência Pública, entre outros se isso não é função do vereador cobrar e tomar ciência desses fatos então é desnecessária a existência de tal poder.

Eu estou pleno das minhas faculdades mentais, e eu analisando quando no passado eu fazia campanha para Rosinha esses mesmos que me chamam de antipático, que sofro de distúrbio eram os mesmos que me chamavam de um jovem ousado, empoderado, aí percebi que agora não faço mais isso aí o discurso mudou, digo a cada um não tenho rabo preso com ninguém, não devo favor a ninguém.

Quero dizer que essas condutas por parte de alguns vereadores de Cururupu é desprezível eu sempre respeitei cada um, não importa as divergências pessoais, as minhas cobranças é para o vereador e não para o cidadão, por isso exijo respeito, exijo que revejam suas falas porque se elas continuarem eu vou entrar com um processo contra todos que estão denegrindo minha imagem, ao invés de se importar comigo deveriam era cobrar melhoria para a cidade e deixar de bajular governo, porque nós que pagamos os salários, quero frisar aqui que não são todos, apenas alguns, ao contrário eu estudei e não sou alienado como muitos.

Terão que me engolir, porque se lutar por seus direitos é ser antipático e sofrer de distúrbio então eu sou, melhor do que dá as costas ao povo em troca de migalhas. Carlos Pimentel.”

Posts Relacionados Mais do autor

2 Comentários

  1. Jorge Fernando Diz

    Não só Cururupu, mas todo o nosso país está precisando de pessoas que tome esse tipo de iniciativa, parabéns professor Carlos Pimentel. Estou gostando de ver seu comprometimento com os menos favorecidos de Cururupu.

  2. Ana Carolina Diz

    Apoiado .

Comentário

Seu endereço de email não será publicado.